1º Encontro de Pacientes Reumáticos do Estado acontece neste sábado
Close

Not a member yet? Register now and get started.

lock and key

Sign in to your account.

Account Login

Forgot your password?

1º Encontro de Pacientes Reumáticos do Estado acontece neste sábado

Pelo menos 30% dos moradores de Vitória sentem algum tipo de dor. Se não bastasse isso, em mais de 23% desses casos, os pacientes têm limitações para realizar atividades rotineiras, como dirigir, vestir-se, trabalhar, andar ou comer. A maioria dessas dores é na região lombar – a famosa lombalgia – que é a que mais atinge os capixabas: 7,6% da população.

Diante de dados tão alarmantes, colhidos em uma pesquisa feita pelo serviço de reumatologia do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam/Ufes), a Sociedade de Reumatologia do Espírito Santo (Sores) vai promover, neste sábado, 3 de dezembro, o 1º Encontro de Pacientes Reumáticos do Espírito Santo.

A proposta é justamente proporcionar ao paciente com doenças reumáticas – seja ele da rede pública ou privada – um espaço de discussão sobre os diversos aspectos da doença para melhorar a qualidade de vida.

O objetivo principal do encontro é iniciar um grupo de apoio aos pacientes reumáticos do Espírito Santo, que possa dar esclarecimentos, orientações e também defender os direitos destes pacientes.

O evento acontece no Auditório Manoel Vereza de Oliveira, no CCJE (em frente ao Planetário) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no campus de Goiabeiras, a partir das 9 horas.

As inscrições são gratuitas e limitadas e devem ser feitas pelo telefone 3345-6411 de segunda a sexta-feira, das 13 às 17 horas.

Diretora científica da Sores e professora da Ufes, a reumatologista Valéria Valim alerta para o fato de que existem mais de 100 tipos de doenças reumáticas.

“A maioria delas começa com uma simples dor nas articulações. Mas se não for corretamente diagnosticada e tratada, pode levar a pessoa à incapacidade física e fazer com que ela perca significativamente a qualidade de vida”, explica.

São muitas as pessoas que sentem dor. E quando tudo isso é trabalhado em grupo, a chance de obter sucesso no tratamento é ainda maior, de acordo com a médica.

“Nas doenças crônicas, o paciente é o principal agente para o seu tratamento. Boa parte da melhora depende dele, como mudar os hábitos, interpretar e relatar corretamente os sintomas, usar a medicação adequada, entre outros. É fundamental formar grupos de apoio ao paciente reumático no Estado. Além de ser a doença mais antiga da humanidade, é uma das que mais cresce na população”, destacou Ana Paula Gianordoli, coordenadora do evento.

E os números comprovam isso. Atualmente, cerca de um terço da população sofre de doenças do aparelho músculo-esquelético ao longo de sua vida.

Segundo a pesquisa feita no Hucam, as dores na região lombar (lombalgia) são as que mais atingem os capixabas: 7,6% da população. Depois, vem a prevalência de dores musculares difusas e fibromialgia, com 5,5%. Em seguida, a artrose, com 5%; tendinites, bursites e síndrome miofacial, 4,5%; e artrite reumatoide, 0,2% de incidência. Além disso, as dores não-específicas – aquelas em que não houve como identificar a procedência e a causa – foram observadas em 21,6% da população.

A organização do 1º Encontro de Pacientes Reumáticos do Espírito Santo é da Sociedade de Reumatologia do Espírito Santo (Sores) e do Serviço de Reumatologia do Hucam, com apoio da Pró-reitoria de Extensão da Ufes, sob coordenação das médicas Valéria Valim e Ana Paula Gianordoli e da fisioterapeuta e professora da Ufes, Samira Tatiyama Miyamoto.

 

Serviço

Evento: 1º Encontro de Pacientes Reumáticos do Espírito Santo

Quando: sábado (3 de dezembro)

Onde: Auditório Manoel Vereza de Oliveira, no CCJE (em frente ao Planetário) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)/Campus de Goiabeiras.

Horário: início às 9 horas.

Inscrições: gratuitas, pelo telefone 3345-6411 (de segunda a sexta-feira, das 13 às 17 horas). As vagas são limitadas.